Emir Sader: PT Saudações  

Posted by Flavio Morgenstern in , , , , , ,

Aproveitando que Emir Sader não ficou desempregado hoje (está com uns projetos aí, todos a erário público), relembremos alguns dos melhores momentos sobre o mestre.

Sobre o Argumentum ad verecundiam

(...) De fato, uma vez que a opinião tinha um bom número de vozes que a aceitavam, os que vieram depois supuseram que só podia ter tantos seguidores pelo peso concludente de seus argumentos. Os demais, para não passar por espíritos inquietos que se rebelam contra opiniões universalmente admitidas e por sabichões que quisessem ser mais espertos que o mundo inteiro, foram obrigados a admitir o que todo mundo já aceitava*.

Neste ponto, a concordância torna-se uma obrigação. E, de agora em diante, os poucos que forem capazes de julgar por si mesmos se calarão, e só poderão falar aqueles que, totalmente incapazes de ter uma opinião e juízos próprios, sejam o eco das opiniões alheias.

Pois estes, na verdade, odeiam aquele que pensa de modo diferente, não tanto por terem opinião diversa daquele que afirma, quanto pela sua audácia de querer julgar a si mesmo, coisa que eles nunca poderão fazer, sendo por dentro conscientes disso.

(Arthur Schopenhauer, Como Vencer um Debate sem Precisar ter Razão, p. 170, Rio de Janeiro: TopBooks, 2003.)

* Comentário de Olavo de Carvalho:

Expediente característico de nossos polemistas de esquerda, que fogem de todo argumento mediante a simples alegação: "É de direita", ainda que o ponto em discussão não seja de natureza política.

Exemplo escandaloso: saindo da conferência do jornalista Carlos Aberto Montaner, que argumentava pelas vantagens da economia liberal sobre a socialista, o prof. Emir Sader objetou que o Manual do Perfeito Idiota Latino-Americano (do qual o conferecista é um dos autores) é um livro inquisitorial, que "pede veladamente a censura" das obras esquerdistas.

O prof. Sader não só escorregou para fora da questão, mas falseou a verdade ao catalogar Montaner na odiada categoria dos inquisidores, pois o Manual se limita a fazer, a respeito de certas obras esquerdistas, uma crítica irônica e inteligente, que aliás seria despropositada se essas obras fossem proibidas de circular. - Este experiente é mais eficaz ainda quando associado à manipulação semântica (estratagema 12), isto é, quando primeiro se carrega uma determinada palavra de conotações pejorativas, deixando-a pronta para ser usada no presente estratagema.

(comprem e leiam o livro, que deveria cair em todo Vestibular.)