Por que a direita sempre perde no final  

Posted by Flavio Morgenstern in , , , , , ,

Há uma postagem no blog do Mr. X comentando a famosa "inversão de valores" de que a direita tanto reclama nos auto-aclamados "progressistas". Essa inversão nada tem a ver com a Umwertung aller Werte nietzscheana: trata-se apenas do típico vezo esquerdista de se definir como correta e escrever livros e teses explicando aos seus pupilos que, por mais que olhando para a realidade possam chegar a outras conclusões, eles continuam certos.

Mas nada do que diz o Mr. X tem a ver com a ignorância da esquerda sobre o outro lado: trata-se apenas de reclamar de gays.

Claro que um pensador liberal tem também o dever de levar em consideração que pode-se argumentar qualquer coisa, desde que se agüente o tranco da sua arma. Como aqui o tranco vai atingir não apenas Mr. X, deve-se cuidar para que esse tipo de pensamento raso não se repita. Por isso comentei o texto.

Se há algo que destrói uma tentativa de melhorar o mundo, seja ela qual for, é quando a idéia chega num radicalismo tão grotesco que mesmo toda a parte boa dela tem de ser jogada na famosa lata de lixo da História de Trotsky, simplesmente para não recairmos numa idiotia pior ainda.

O que ferra a direita é justamente esse tipo de texto. Veja que nunca conseguem refutar dados do capitalismo, nunca conseguem negar que até os miseráveis hoje têm um nível de vida melhor do que sem o capitalismo. Mas refutar esse conservadorismo piegas e, jogando o bebê junto com a água suja, se livrar do lado bom do conservadorismo num só golpe, é o que mantém a esquerda no poder há tanto tempo.

Envida-se um esforço maçante para tentar tratar o ódio ao homossexualismo como algo "lógico", e não como mero fanatismo religioso. Então, chega-se ao cúmulo de usar um "argumento" chumbreca como esse:

"O homossexualismo, por exemplo, pode até ser divertido para seus praticantes (?), mas tem o inconveniente de não propagar a espécie e causar potencialmente maiores problemas de saúde."

Ora, o primeiro "inconveniente" é ÓTIMO. Não é só porque alguns regimes totalitários se preocuparam com o controle populacional que ele é ruim. Eles também bebiam água, e beber água continua sendo bom. Inclusive em termos liberais (curioso como é moda da direita agora falar mal de Malthus sem tê-lo lido).

Depois, fala-se como se todo sexo heterossexual fosse propagar a espécie. Não tenho Deus a quem dar graças por isso ser falso! Fico imaginando se os faniquitos e ataques de pelanca de cada cristão fossem à guisa de "oh, meu deus! gays estão transando! Não darão continuidade à espécie!!"

É preciso maior rigor demonstrativo para provar que isso é hipocrisia?

O segundo "inconveniente" é verdade, mas não por causa do homossexualismo em si, e sim por comportamento promíscuo. Por razões higiênicas que não valem a pena ser explicadas, gays sofrem mais se não usarem camisinha - e há o fator cultural, da onda oba-oba em que os gays se metem para poder encontrar parceiros; onda esta que pode ter uma rotatividade muito maior. Novamente, isso nada tem a ver com homossexualismo: urge ignorar a rotatividade de pitboys de balada e a pequenez cultural das patricinhas que lhes servem de camelo no deserto - mas, ainda mais, a sua falta de "perpetuação da espécie".

É uma pena que esse tipo de argumento seja usado: sempre que um "progressista" quer atacar os reacionários, ao invés de lidar com números, com os quais é muito mais difícil mentir do que com palavras, ele sempre tum texto de gosto discutível como esse para apontar a superioridade das suas crenças tão fanáticas quanto - e com um grau de estupidez não muito mais elevado, há-de se notar.

This entry was posted on quarta-feira, dezembro 22, 2010 at 13:42 and is filed under , , , , , , . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

0 pessoas leram e discordaram

Postar um comentário