Ademais - A Semana Revista  

Posted by Flavio Morgenstern in , , , , , , ,

"Poso ficar aqui dez anos, aqui tenho meu violão."
— Manuel Zelaya

Esta semana foi concorrida em assuntos a serem comentados, além da morte do Dalborga. À guisa Jack:


Violência na Guerra e na Paz

Dizem que o problema da violência é a "sociedade injusta". Enquanto isso, só no Espírito Santo, um estado minúsculo do Brasil, se mata duas vezes mais do que no Iraque, um país em guerra.

Nota: 70% com envolvimento com tráfico de drogas, também conhecidos por "motivos fúteis". E o que gera violência, é claro, é a sociedade capitalista, e não a estupidez do indivíduo.


Revisionismo Histórico

Uma coisa que a esquerda no Brasil adora fazer é procurar resolução de crimes de 40 anos atrás causados pelos milicos. Porém, a palavra terrorismo nunca acompanha a palavra ditadura em seus pronunciamentos.

Esquerdistas têm uma mania de procurar as ossadas dos desaparecidos. Acharam duas ossadas na semana passada e estavam prestes a soltar fogos. Quando foram ver, eram de dois militares que eles mesmos tinham matado. Vexame que não saiu em quase nenhum veículo burguês e imperialista.

O sargento Mário Abrahim da Silva e o cabo Odilo Cruz Rosa foram mortos à queima-roupa, sem possibilidade de defesa, em emboscadas, e não em campo de batalha. É foram eles que fizeram o que se chama, hoje, de repressão.


Putas 1: O Bordel do Obama

A ACORN, empresa para onde Obama desviou milhões que antes eram das forças armadas, resolveu aprender com a tática brasileira de, em caso de crimes claros, culpar a vítima, de Liana Friedenbach a Geisy Arruda.

James O'Keefe e Hannah Giles fizeram uma investigação para demonstrar as fraudes e desvios de dinheiro da empresa - plano: Giles se disfarçou de prostituta e a dupla gravou informações de funcionários de 5 diferentes jurisdições explicando como criar um bordel com prostitutas menores de idade em El Salvador. E os camaradas explicam direitinho como deve ser feito: se é dinheiro público, pode pedir bastante, né?

O que resta aos criminosos? Processar o mensageiro. E quer apostar que ainda levam nessa, e não é na bunda?


Putas 2: Sobre Túlio Vianna e Punheta

"Dois neocretinos que filosofavam a revolta de maio de 68, Philippe Rivière e Laurent Danchin, propugnavam uma nova educação básica, em que a filosofia e as letras seriam substituídas por informática, marxismo e música
pop."
— Olavo de Carvalho, O Imbecil Coletivo, p. 280

Não é que eu persigo Túlio Vianna. É que me informo pela internet, e onde tem bosta hilária para estravazar sobre a estupidez alheia, tem Túlio Vianna envolvido. Se o cara fosse mais onipresente, seria só digitar "bosta" no Google que você cairia na seção de suas obras completas.

Se gastasse meu tempo lendo livros de esquerdistas, estaria caçando as histrionices de Paulo Arantes e Caetano Veloso, mas é mais rápido e econômico rir de advogados de porta de scrapbook.

Lula pediu caráter de urgência (coisa que só o presidente pode pedir) para que o Congresso aprove logo a medida do Vale Cultura, que dará aos trabalhadores que não são classe média um vale de R$50 para ser gasto com cinema, teatro e outras atividades com que Lula só se preocupou agora, coincidentemente, com o lançamento do seu filme e a campanha de Dilma a todo vapor na TV.

Enquanto o projeto já é satirizado sendo chamado de Bolsa Sinuca, nosso Túlio, se antecipando, lançou um texto explicando (a palavra, aqui, é tomada em sentido viannense) que pornografia é cultura, portanto o dinheiro do Vale Cultura pode ser usado para... bem, vocês sabem.

Desde que a Constituição de 88 (art. 216) definiu como "patrimônio cultural" tudo o que dê testemunho do que se passa nesse país, abstraindo-se qualquer consideração de qualidade, estética, moral ou cognitiva, temos pensadores imbuídos da crença edificante de que sua missão precípua é ecoar — e, se possível, vociferar — as sacrossantas "aspirações do nosso tempo", já decididos de que literatura não é preciso; Chico Buarque é preciso.

Mas quantos deles foram tão subrepticamente baixos, e ainda com o erário?

Claro que não tenho dúvidas de que Engolidoras de Mangalhos, Viagem Ao Céu da Boca e DNA: Dilatando Nossos Anus são verdadeiros testemunhos da qualidade, da estética, da moral e da cognição da cultura brasileira — o que faz com que até mesmo o blog de Túlio Vianna seja "patrimônio cultural", quod erat demonstrandum. Acho que Túlio, quando leu Demóstenes dizendo que veritas est in puteo, não entendeu que a tradução é "nas profundezas"...

Porém, quando foi mesmo que Túlio estava chiando sobre uma frase de Robin Williams, explicando (tomada em sentido williano) como o Rio conseguiu virar sede das Olimpíadas? E... bem, agora entendi qual foi o verdadeiro problema do #lingerieday (já que Túlio só se enrolou pra falar de "objetificação"): foi um evento sedutor (de seducere, "esconder", o contrário de producere, que originalmente era "fazer surgir"), ao invés de uma legítima produção cultural pornográfica!

Mas sobretudo: foi um flash mob de adesão voluntária no Twitter. Faço um apelo público a Gravataí, Morróida e IzzyNobre: para que Túlio Vianna não venha com um mimimi moralizante da próxima vez, além de exigir total ausência de roupas, cobrem por isso. Não só de quem quer ver: tem de ser imposto, de todos, com dinheiro público.

Afinal, pornografia no cu dos outros é refresco estatal.


Dilúvio Paulistano

Choveu o mundo em São Paulo, e o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a Secretaria Municipal de Habitação, a Secretaria Estadual de Saneamento do Estado de São Paulo e a própria Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) — sem falar em sub-prefeituras e afins — não souberam explicar como até um conjunto da CDHU está instalado em áreas de risco.

Minha pergunta é: o que quatro órgãos burocráticos, não facilmente comunicáveis e de tarefa tão específica fazem o dia inteiro, que não cuidar de problemas visíveis a olho seco? Não compensa botar 80% no olho da rua e decidir tudo no palitinho?


Crimes does pay

E além do Bolsa Reclusão, que transfere os impostos dos trabalhadores para as famílias dos criminosos viverem felizes enquanto eles estão presos, agora, no Brasil, tempo de cadeia também garante aposentadoria. E falam em penas muito rigorosas, não é?

Vivemos sob a égide de gente com pensamento quase fascista. Querem aumentar o poder do estado, controlar a mídia (vide a censura ao Estadão, comemorada por aí, mesmo que às espensas de defender Sir Ney), a economia, a liberdade de compra. Quase fascista. Os fascistas também queriam controlar a criminalidade.


A pipa do vovô não sobe mais

Jornalistas deveriam ter mais memória para lembrar de Lula comemorando que o nosso PIB iria subir 5% este ano — grande marolinha. Subiu 1,3% no semestre. Com esta projeção, nossa probabilidade de crescimento é negativa, ou, com sorte, bem próxima do zero absoluto.

Lembrando que a relação de crescimento em relação ao mundo no governo Lula, em 40 anos, só não perdeu para a desastrosa gestão Collor. Vamos falar mal do PSDB, pra variar.


O clima tá esquentando

E depois de Gilberto Gil explicar por que está em Copenhage (sic) — "Gosto destes encontros em que se discute o destino... a natureza em nós" — e da delegação sobre clima contar com Collor, Carlos Minc, o ministro com nome de ministério, só desembarca na Dinamarca hoje.


Três notas de Tutty Vasques

No Estadão:

Encalhada é a...
Uma ação entre amigos de Fernanda Young tenta combater insinuações de que a Playboy dela teria encalhado. Só o Marcelo Tas comprou ontem um lote com 200 revistas.

Upgrade
Fernandinho Beira-Mar vai fazer prova do Enem mirando a carreira de advogado. Ou seja, quer mudar de vida sem trocar de ramo.

Axé 22
Fãs de Daniela Mercury estão preocupados! A cantora anda dizendo que seu novo CD reedita e amplia a Semana de 22. Ou seja, a antropofagia do Pelourinho subiu-lhe à cabeça.


...

Até semana que vem.

This entry was posted on domingo, dezembro 13, 2009 at 12:12 and is filed under , , , , , , , . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

0 pessoas leram e discordaram

Postar um comentário