Não se envergonhe disso, Palóffi!  

Posted by Flavio Morgenstern

Já que o Pê Tê, após o STF ter mandado os 40 ladrões (mas não o Ali Babá) para o banco dos réus, ainda fez um churrasco em, ahn, "homenagem" aos bandoleiros, e Lula, cercado "de povo", apenas soltou uma nota dizendo que eles não tinham do que se envergonhar (!) - será que ele, se houvesse mais um debate eleitoral, ainda iria dizer que isso é algo pelo qual a oposição e os brasileiros precisam "agradecer" a ele? -, aqui vai uma "conversa de bastidores" sobre uma figura meio esquecida: Antônio Palocci.

O senhor Antônio Paloffi, irmão do Pedro, cunhado da dona Eliana, é médico sanitarista. Antes de se eleger prefeito, no começo da década de 90, vivia em um condomínio de prédios chamado Jardim das Pedras, no bairro Jardim Paulista (um condomínio com algumas irregularidades), bairro de classe média de Ribeirão Preto.

Após se tornar prefeito, o senhor Paloffi se mudou para uma casa na Lagoinha (um bairro residencial na periferia da cidade), na antiga parte nobre do bairro, salvo engano na rua Vicente Oranges. Hoje, sua mãe mora lá.

Ribeirão Preto tem uns surtos imobiliários, e isso é uma informação crucial para entender o que acontece em seguida. Paloffi logo depois se mudou para o Jardim Canadá, um bairro de casas grandes para onde todos os, digamos, abastados da cidade estavam se mudando. Isso durante a década de 90, com o dinheiro da prefeitura.

No mais, usou dois milhões de reais para construir um gramadinho perto da rodoviária que chamou de praça.

Há dois anos comprou o Hospital Ribeirânia, um dos melhores da cidade. Seu irmão é o diretor geral.

Bom, junte-se a isso a história do caso Buratti e é absurdamente visível que o cara enriqueceu com o dinheiro repassado pela empresa de coleta de lixo ribeirão-pretense, a Leão Leão... é tão difícil assim ligar os pontos?

Fofoca leve, mas é uma prova!

This entry was posted on terça-feira, setembro 04, 2007 at 06:03 . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

0 pessoas leram e discordaram

Postar um comentário